15/12/09

Yggdrasil - A Árvore de Vida

Nas culturas pagãs, tudo que se vê na árvore é tido como sagrado, desde seu caule e raízes até suas folhas e frutos.Também há quem diga que a seiva da árvore sagrada é o elixir dos deuses. E, o fruto da árvore sagrada pode curar qualquer doença.
Os antigos pagãos a viam como o ligamento fértil do deus com a Deusa, e o ato de quebrar um dos seus galhos significava o mesmo que ameaçar o deus de castrá-lo. Por esse motivo, talvez, vemos o tamanho respeito que eles têm (tinham) pelas as árvores, bosques, animais e o meio ambiente em si, para eles a natureza é o templo dos deuses. E banalizá-la é o mesmo que banalizar os deuses, o que é um grande “pecado“.
Na tradição pagã, a Yggdrasil é a “Árvore do Mundo” ou “Árvore da Vida“. E esta enorme árvore sagrada cresceu para fora do Well of Wyrd (Poço do Destino), e serve como condutora para os noves mundos do universo. A Yggdrasil está ligada a esses nove mundos, pela suas raízes ou ramos.
Essa árvore não pode ser comparada com nenhuma do mundo mortal (Midgard), mas pode de fato, ser uma combinação de todas elas. Dizem que ela está localizada no centro do universo, e suas raízes mais profundas estão localizadas em Niflheim (O mundo subterrâneo), e no tronco está localizada Midgard (O mundo mortal), nos ramos acredita-se que leva para Asgard (A terra dos deuses) e na parte mais alta de Yggdrasil acredita-se, também, que levara a Valhala (O paraíso).
Alguns pagãos acreditam que seus galhos se espalham sobre os céus e estão cheios de frutas sagradas¹ que podem curar qualquer doença e suas folhas sagradas podem trazer pessoas de volta a vida. Há três deusas (conhecidas como: Deusas do Destino) que habitam suas raízes, junto com uma serpente gigantesca.

[Nota¹: Essas frutas na verdade eram estrelas, e quando uma dessas "frutas caíam na terra" era formada uma jornada em busca delas.]

Há quem diga também, que ao destruir uma árvore os poderes da Yggdrasil se tornam mais fracos, podendo deixar o universo em um tremendo caos, por ela ser o eixo.

Independente do seu modo de ver, sabemos que a preservação ambiental é o único meio para que NÓS possamos preservar a nossa própria espécie, já em risco de extinção.

Fonte:
http://kithain.wordpress.com/

...

Yggdrasil


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Yggdrasil em gravura de Friedrich Wilhelm Heine (1886).

Yggdrasil (nórdico antigo: Yggdrasill) é uma árvore colossal (algumas fontes dizem que é um freixo, outras que é um teixo), na mitologia nórdica, que era o eixo do mundo.
Localizada no centro do universo ligava os nove mundos da cosmologia nórdica, cujas raízes mais profundas estão situadas em Niflheim, fincavam os mundos subterrâneos; o tronco era Midgard, ou seja, o mundo material dos homens; a parte mais alta, que se dizia tocar o Sol e a Lua, chamava-se Asgard (a cidade dourada), a terra dos deuses, e Valhala, o local onde os guerreiros vikings eram recebidos após terem morrido, com honra, em batalha.
Conta-se que nas frutas de Yggdrasil estão as respostas das grandes perguntas da humanidade. Por esse motivo ela sempre é guardada por uma centúria de valquírias, denominadas protetoras, e somente os deuses podem visitá-la. Nas lendas nórdicas, dizia-se que as folhas de Yggdrasil podiam trazer pessoas de volta a vida e apenas um de seus frutos, curaria qualquer doença.

Yggdrasil - o eixo do mundo

Yggdrasil é a árvore que de acordo com os nórdicos é o eixo do mundo, a árvore era gigantesca em seu tronco se dividiam os nove mundos e as raízes era onde se encontrava Niflhein (o reino do gelo e das névoas) muitos pensam que Niflhein é o inferno, mas na verdade Helgardh que se localiza em Niflhein que é o inferno.
A árvore de Yggdrasil tem propriedades místicas, suas folhas são capazes de trazer os mortos de volta a vida e seus frutos são capazes de curar qualquer doença.
No topo de Yggdrasil se encontra a moradia dos deuses Asgard, onde se encontra a ponte Bifrost ou ponte arco-íris que se liga com o meio da árvore Midgard (a terra dos homens), Odin se enforcou em um dos galhos de Yggdrasil, mas voltou a vida com mágica.
Em Niflhein existe um dragão chamado Nidhogg que devora sem parar as raízes da árvore com o objetivo de a destruir, mas existem vários animais escondidos em Yggdrasil que distraem Nidhogg um deles é o esquilo Ratatosk.

De Symbolom

Yggdrasil, ou Yggdrasill, era uma árvore (um freixo) que, na mitologia escandinava,
era o eixo do mundo.
Nas suas raízes, que se espalhavam pelos nove mundos, cujas mais profundas estao situadas em Niflheim, ficavam os mundos subterrâneos; o tronco era Midgard, ou seja, o mundo material dos homens; a parte mais alta, que se dizia tocar o Sol e a Lua, chamava-se Asgard (a cidade dourada), a terra dos deuses, e Valhala, o local onde os guerreiros vikings eram recebidos após terem morrido, com honra, em batalha.
Conta-se que nas frutas de Yggdrasil estão as respostas das grandes perguntas da humanidade. Por esse motivo ela sempre é guardada por uma centúria de Valkírias, denominadas protetoras, e somente os deuses podem visitá-la.
Nas Lendas Nórdicas, dizia-se que as folhas de Yggdrasil podiam trazer pessoas de volta a vida e apenas um de seus frutos, curaria qualquer doença.

Estudos sobre Yggdrasil e as Fontes Primordiais
(Por Aistan Falkar)

Háils Unsaraim Gudam Ases jah Vanes!!

Háils Haithunu Thiuda !!

Háils Brothru´s Visigoth´s !!

Analisando a estrutura proposta nos trabalhos recebidos, que abordavam as estruturas de Yggdrasil a partir das 3 fontes ou Hvels Primordiais, podemos observar que há alguns pontos interessantes.
Primeiramente temos a situação de Hvelgaldhr, origem ressonante, e em segundo lugar o aparecimento dos Jotuns, através de Aourgermir, e em seguida dos Primeiros Aesir, através de Buri, Bor e Bestla (segundo a ordem que aparece em alguns estilos e tradições, qua abordam o tradicionalismo nórdico).
Do choque de forças, acabam surgindo originalmente mais duas Super Estruturas, ou Hvels.
Um deles em Jotunheim (a Fonte de Mimir), e o outro em Aesgard (a Fonte de Wyrd).
É proposto então 3 grupos de Mundos, abrangendo Yggdrasil, em que a partir da Fonte de Wyrd, em Aesgard, uma das Raízes se desenvolve e liga-se até Vanaheim e vai até Midgard.
Em seguida temos a Raíz que saí de Hvelmimir, em Jotunheim, e vai até Hossalfheim indo até Swartalfheim.
Por último abordamos o que naverdade seria a primeira Raíz. Que sai de Hvelgaldr, passando pelo mundo dos Mortos de Hella, o Hell, indo até o Reino de Fogo Muspellheim.
Analisando o conjunto todo por matemática simples, não podemos deixar de notar que este conjunto “...consegue se expressar...” por meio de uma equação, que é tão simples que “...talves...” tenha algo a contribuir, em nosso contínuos estudos sobre os Mundos de Yggdrasil e as Runas.
Parece sempre haver algum choque nos estudos sobre a disposição dos mundos dentro de uma apresentação dinâmica (por exemplo uma apresentação em 8 círculos com 1 círculo ao centro – óbviamente Midgard ; ou em uma apresentação em 9 quadrados exatos, sendo o do centro Midgard).
No entanto se posicionarmos qualquer um dos Quadrados ou Círculos da parte superior (Preferêncialmente o Quadrado Superior Esquerdo, ou o Círculo Superior Esquerdo), como sendo o primeiro Mundo, e atribuindo a esse o valor de 1 (apenas para efeito de demonstração, e sem outras conotações).
E indo um pouco para fora da atribuição de Yggdrasil, no sentido da expressão diagramática da Árvore que é mais conhecida, mas levando-se em conta a Nephelheim e Muspelheim como os 2 primeiros Mundos, e mais Antigas Forças a coexistirem em Gnnugagap, e separados pelo mesmo.
E fazendo-se uma experiência, colocando então a Nephelheim como o Mundo de número 1.
Podemos então fazer algumas deliberações com todo o restante de Yggdrasil.
Pois seguindo esta padronização, teremos então a idéia (já mais voltada para a descrição Tradicional de Yggdrasil), de AESGARD posicionada Verticalmente acima de todos os outros Mundos. E também teremos fatores como a Relevante Presença dos Ases Primordiais, em especial Vodan, que em sua atução modificaram a pré-existência, para geração do que o Multiverso em que vivemos é.
Assim sendo o número do quadrado atribuido a Aesgard será 2, e será o mais vertical de todos os quadrados ou círculos, apresentados dentro desta pequena possibilidade de estudos. Levando inclusive em conta que um dos 3 Hvels alí se encontra, o Hvel de Wyrd.
Lembrando sempre que Jotunheim formou-se tão logo abrandou-se a inundação seguida da morte de Aourgermir (seguindo a linha de pensamento de algumas formas de apresentação nórdicas). E que um dos 3 Hvels alí se encontra, o Hvel de Mimir.
Veremos que algo interessante pode ser contruído se usarmos de matemática e redução simples, combinadas As Escalas de Oposições Lineares que São Apresentadas no Modelo Tradicional de Yggdrasil.
Assim sendo se nos lembrarmos que Todos os Números de 1 a 8, quando são somados com seus opostos diretos, resultam exatamente em 9. E que Midgard é o Mundo material em que todas as forças operam, e é o ponto de Intersecção de Poderes de Todos os Mundos.
A título de experimentação, poderíamos atribuir a Midgard o número 9 e adicioná-lo então ao Quadrado Central,ou Círculo Central, do diagrama de estudos que estamos teoricamente analisando.
Se nos lembrarmos que o Mundo oposto a Nephelheim é justamente o Mundo do Fogo Sombrio de Muspelheim, e se levarmos em conta o vetor de que colocamos a Nephelheim neste pequeno estudo, exatamente no quadrado Primeiro, ou seja o de número 1. Teremos que opô-lo diametralmente no quadrado de número 8 (segundo a apresentação de oposições matemáticas do estudo acima, como foi colocado, sobre as oposições de 1 a 8 resultarem em 9).
Este quadrado será o Quadrado Inferior Direito (ou Círculo Inferior Direito).
Lembrando da oposição direta entre Hel e Aesgard no diagrama tradicional de Yggdrasil, teremos então Hel no Quadrado ou Círculo inferior mais Vertical. Seu número por conta do Vetor Numérico de Aesgard (para este pequeno esforço de estudo), será diretamente o número 7 (pois como está exposto acima, matematicamente falando 7 somado a 2 resulta em 9).
Em seguida deveremos dispor no Quadrado ou Círculo Inferior Esquerdo, o Mundo de Vanaheim, opondo-o exatamente como está disposto no Diagrama Tradicional de Yggdrasil, ao mundo de Jotunheim. E então atribuirmos a este mundo o Vetor Numérico 6 (para estabelecer vínculo com este esforço de estudos como está acima).
Veremos que sobrarão então dois quadrados Horizontais.
A estes logo abaixo dos Quadrados de Nephelheim e Jotunheim, estarão dispostos Hossalfheim e Swartalfheim.
Então a disposição destes deverá seguir uma dinâmica que dê sincronia com Yggdrasil, e com o movimento de giro proposto.
Então pensando da disposição de cores de Nephelheim (teremos então o Gelo, Névoa, Neve, ou seja, o Branco Reina cromaticamente ali).
E sabendo-se de que Vanaheim foi disposto diretamente abaixo de Nephelheim (pelo encaixe matemático proposto acima), e que há harmonia direta entre os Vanes e os Elfos.
Ficará mais próximo então da diagramação de Yggdrasil, dispor Hossalfheim no Quadrado de Vetor Numérico 5, exatamente entre Nephellheim e Vanaheim.
O que deixará então o último quadrado, posicionado entre Jotunheim e Musphelheim, com o Vetor Numérico 4, exatamente para Swartalfheim. E nos lembraremos imediatamente que os Swartalfs habitam regiões que são fronteiriças com as forças Ctônicas e Ígneas, e que eles mesmos são Artífices Maravilhosos, Exímios Ferreiros, e donos da capacidade de Forjar coisas inacreditáveis (como é o caso do Draupnir, do Mjoullnir, ou dos Cabelos de Sif, e bem como KVASIR nos virá a mente juntamente com o Mead dos Sábios), o que nos dá a impressão de proximidade tanto de influxos do Hvel de Mimir tanto quando da capacitade Ígnea de Musphelheim.
E por análise direta, todos estes Mundos ligados a estas oposições e Vetores numéricos, resultam sempre ao serem dispostos por meio da matemática, no Vetor Numérico de Valor 9, que foi para este pequeno estudo, atribuído a Midgard.
Isto nos lembrará, mais uma vez, que em Midgard todos os poderes de Yggdrasil atuam e participam, e que Midgard é o Reino Médio e a Intersecção de todos os Outros Mundos.
Isso poderá desencadear uma pergunta muito importante:
Porquê Nephelheim está diposta em oposição a diagramas que são apresentados, nas mais variadas formas de descrição de Yggdrasil??
A resposta a isso parte de uma observação que talves sejá útil para este pequeno estudo.
Se criarmos agora um Diagrama com uma representação, de um Humano de frente para o Norte ( pois a Norte está Poláris e a Ursa Maior).
Tendo nossas costas então para o Sul, e nossa mão direita para o Leste.
Observemos que se estivessemos olhando para um esquema Tridimensional, levando-se em conta comprimento, largura e altura de um desenho. Resultando então em uma letra “...X...”, para podermos colocar o Norte e os outros Pontos Cardeais, respeitando então a Tridimensionalidade do Esquema, ao invés de uma “...+...”. O que nos dá espaço para podermos representar no Plano vertical, os Mundos de Aesgard, Hossalfheim, Midigard como o Centro do “...X...”, Swartalfheim e no Ponto mais Inferior da Haste Vertical, Hell. Em outras palavras, exatamente uma Runa Gebo (como nos foi apresentado recentemente no Esquema do Runebindja).
Para podermos ficar de frente para o Norte, e termos neste Nephelheim, a ponta Superior Direita do “...X...”, deverá estar vinculada diretamente a Nephelheim. O que nos dá seguindo a Ordem de Colocação, a ponta Superior Esquerda para Jotunheim, a Inferior Direita para Vanaheim e a Inferior Direita para Musphelheim (exatamente em oposição a Nephelheim).
Outro detalhe é que acompanhando o desenho, veremos que ele nos leva a um traçado interessante.
Pois seguindo os Quadrados de 1 a 4, e depois passando em linha reta para 9 e 5, o que nos dá então o movimento direto de 6 até 8.
Teremos então uma representação simplificada de uma Swástica Horária.
O que nos dá uma ampla valorização do Sentido de Giro Construtivo, usado para um vínculo com as Rodadas de Symbels, Voltas em Torno da Fogo Central, e simbólicamente o próprio sentido de giro dos cósmos.

Háils Vodan !!! Witubini jah Mahts !!!


Fonte da Imagem:
http://www.flickr.com/photos/emilyfundis/

4 comentários:

Anônimo disse...

Belo trabalho Thaís. Dá para perceber que fizeste uma longa pesquisa. Parabéns!
Quero desejar-te um Natal cheio de Paz e de muita Luz. E que em 2010
brotem muitos frutos dessa grande árvore, que é a VIDA!
Um beijo

Thaís Marino disse...

Amém!!! Que nesse Natal reconheçamos o significado do nascimento crístico em nosso corações!!! Obrigada a todos que estiveram conosco neste tempo todo! E esse é o nosso ano!!! Vamos estar gravando, produzindo loucamente para que o Sol beije a fronte de nossos brotos! Bjs! Tau!

Anônimo disse...

olá. eu só tenho uma questão. existe alguma profecia, alguma história de algum humano que se relacione com esta mitologia? era importante saber... espero reposta, bj

THAÍS MARINO disse...

Sim, com certeza. Refere-se à todos os seres humanos e é correlato às profecias sobre o "fim do mundo".

Bjs e agradeço pela visita :)